11 novembro 2014

/

Sobre o perrengue da amamentação

23 comentários:

  1. Dani, como é difícil né ? Não é igual pra todo mundo, cada uma tem sua história, cada uma teve seu jeito, mas em todas teve muito amor envolvido. E isso voce tem de sobra, eu sei. Daqui a pouco ela vai estar maior, isso tudo vai se acalmar. E o que vai ficar? A certeza de que voce fez TUDO que estava a seu alcance. Diferentemente da amamentação da Laura, voce não terá aquela vozinha interior lhe cobrando 'e se eu tivesse feito isso ou aquilo'....voce terá certeza que fez tudo. Parabéns chuchu ! Voce é uma mãe maravilhosa, a melhor que Helena poderia ter. Beijos cheios de saudade !!!!!

    ResponderExcluir
  2. Te entendo Dani..e como entendo rss.. como disse no face..amamentar no começo nao eh aquele mar de rosas q muitos pintam por ai..pode ser q seja para algumas..mas pra mim no começo nao foi mesmo rss
    hj nathy tem 1 ano e sete meses. .e eu to louca pra fazer o desmame. .pq? Pq ela mama a noite inteira e trabalhar e amamentar a noite toda nao combina rss. Mas ela nao quer largar. .entao to protelando o desmame ate q eu consiga rss

    ResponderExcluir
  3. Dani,

    Para mim, é impossível ler o seu relato e não pensar sobre mim mesma. Ainda não me libertei da minha pouca amamentação. Ainda me culpo e culpo a cesárea. A via de nascimento e o fato de ter sido na semana 38+6. Para mim é tõ tão tão difícil. E já sonho e me planejo para fazer diferente quando, enfim, decidir pelo segundo filho.

    De todo o coração, eu estou na imensa torcida que continue num processo cada vez mais ascendente. Que, já já, amamentar a Helena seja tudo aquilo que nós, mães, desejamos!

    Coragem (sei que não te falta)!

    Beijos,

    Pati

    ResponderExcluir
  4. Minha prima, que é doula, sempre disse que amamentação é uma escolha que se faz diariamente, porque fácil não é meeeeesmoooo! Para mim, o processo foi inverso ao seu. Eu tinha muito e por depressão fui secando e secando e chorando e chorando...amamentei por lindos 4 meses e meio e lembro bem das noites em claro do inicio. Recebi muito apoio, o que é fundamental para que a gente aguente firme no propósito. Vejo que vc já está escrevendo uma historia diferente com a Helena. Será linda, com certeza! Força! E chore mesmo! Faz parte! Derrame lágrimas para derramar leite! Um abraço bem apertado em você!

    ResponderExcluir
  5. Dani querida,
    leio teu relato e impossível não lembrar de mim. Lembro que no início, qdo o Ben era RN, de repente eu olhava no relógio, eram 15h e eu estava sentada na bola com o Ben no peito, porque ele mamada 30 minutos, dormia 30 e pedia para mamar mais 30. Tinha dias que eu entrava no banho com ele no chuveiro, saia molhada, me enrolava no roupão molhada, secava ele, fralda, e peito imediatamente (e eu molhada de roupão). Mas esses banhos eram bem relaxantes pra ele!

    No dia em que li teu relato no GVA, meu coração ficou apertado, porque desde sempre nós conversamos aqui, e eu sempre me coloquei à disposição pra te ajudar. Mas eu estava num momento super tenso na minha vida, trabalhando em 2 empregos e mais um frila, exatamente na semana que Helena nasceu, e eu simplesmente não consegui pegar o celular e te chamar para conversar. Depois, fiquei com medo de ser ser meio invasiva, e eu seria só mais uma a dizer tudo aquilo que aquelas mulheres maravilhosas te disseram no GVA.
    Acontece que existem coisas que vão além de tudo o que a gente espera. Eu ficava o dia inteiro amamentando o Ben, exatamente da mesma forma que tu contas, mas eu via diariamente o Ben perdendo suas roupinhas porque não parava de engordar. Agora passar o dia inteiro com bebê plugado e ele engordar 13g/dia? É de cair o c* da bunda (desculpa o palavreado rs). Sai totalmente daquela imagem que temos e de tudo o que estudamos sobre o poder da amamentação exclusiva!
    De qualquer forma, temos que ter em mente que a curva de crescimento e a média de ganho de peso/dia são medidas aproximadas. E se o bebê cresce, ganha peso (não perde) e começa a adquirir as habilidades previstas para a idade, então está tudo bem! É claro que não dá pra ser radical, e se alguns ml de complemento garantem o mínimo de sanidade à família, bendito seja o complemento!
    Tenho certeza de que tu estás no caminho certo. Agora que o turbilhão aqui passou, me coloco novamente à disposição, nem que seja para desabafar.
    Um beijo grande em ti e nessa menina dos olhos lindos!

    ResponderExcluir
  6. Dani é fundamental que vc descanse e consiga dormir para produzir leite! Quando tive minha bebe, vivia cansada e com pouquíssimo leite, até receber a visita de uma abençoada amiga que me falou para dar o complemento, no começo relutei mas acabei acatando, e foi ótimo, porque com o complemento minha filha dormia mais, e eu conseguia descansar e produzia mais leite, vou dar uma dica que funcionou comigo, no lugar da ultima mamada dê o complemento, e tenta si jogar na cama e descansar! ah! canjica e polenta me ajudaram também! Estou torcendo e orando por vc! vai dar certo confie em Deus! vc é um exemplo de mãe! bjim

    ResponderExcluir
  7. Ai amiga...nada é facil qdo o assunto sao eles ne!
    Eu GRAÇAS A DEUS nunca tive problemas maiores com a amamentação.
    Bernardo inclusive mamou MUITO até os quase 12 meses. E adorava. E eu ainda fabrico leite. Só q sem a sucção dele, a tendencia é parar mesmo.
    Desmamei pq eu quis, pq pra mim um ano tava otimo, visto q a Anna mamou 5 meses apenas.
    Nao desista. E eu acho sinceramente q a amamentação nao tem muito nada a ver com o parto, pq os meus ambos nasceram de cesarea e eu sempre tive leite saindo pela culatra. Nao, culatra nao. Menti ne...rs...mas sempre desde a primeira hora de vida, primeira hora de nascidos nao naturalmente, eu tinha leite! Colostro claro, mas o leite em abundancia nao demorou 24 horas pra descer, como dizem.
    Mas força aí pq sei q como vc fez tudo diferente do q na primeira vez, fará mais essa tb!!!!
    Beijos carinhosos!

    ResponderExcluir
  8. Dani querida você é super, mega, blaster, master admirável!!! Ninguém conhece a si mesmo melhor que você e se seus instintos te deixam a plena certeza que está indo pelo caminho certo, então esse é o caminho! Essa belezura é nutrida de leite e muito, mas muito amor....

    Parabéns!!!
    Beijos nas meninas queridas!!!

    ResponderExcluir
  9. Oi Dani, há um bom tempo acompanho teu blog e compreendo bem o que tu passas agora. Minha filha tbm se chama Helena, Maria Helena e tem seis meses. Tbm tive parto normal e lutei muito por isso, enfim, quero te parabenizar! Amamentar não é facil não, ainda mais quando precisamos descansar e tem um bb berrando 24h por dia. Aqui no inicio era assim, eu mal podia fazer xixi. Meu marido me dava comida na boca enquanto ela mamava e foi assim por um bom tempo.... Hoje em dia segue mamando, nunca tomou complemento e nada de chupetas, mas não é facil. É preciso se entregar de corpo e alma.
    Nesses momentos o tablet e o celular me ajudavam muito. Dá uma olhada no GVA (grupo virtual de amamentaçâo) no facebook. Lá tem informaçoes maravilhosas e sempre nos incentivam a amamentar. Beijos e muito leite!

    ResponderExcluir
  10. Dani,
    palpites q funcionaram muito bem comigo: cerveja sem álcool, aumenta muito a produçao; acordar a bb, pq muitas x ela ta esse tempo td pendurada mas nao mamando, so chupetando... vc tem que ouvi-la engolindo; cha de erva doce o dia td...
    Bos sorte!
    camila oliveira

    ResponderExcluir
  11. Já ouvi dizer que comer milho é bom, não sei, não tenho filhos. Mas não custa tentar, estou na torcida

    ResponderExcluir
  12. Dani, com essa correria do dia-a-dia com bebê pequeno, mal consigo ligar o computador. Mal e mal leio uns blogs quando Rudá dorme um pouco mais.
    Mas não poderia deixar de dar meu abraço virtual e dizer: tamo junta!

    Rudá foi um RN muuito esfomeado. O primeiro mês foi beem intenso, pois eu estava sempre (SEMPRE) amamentando. Era grudado no peito o tempo inteiro. Claro que é uma situação diferente da tua, eu tinha muuito leite, tanto que o menino mamava, vomitava e voltava a mamar (senão abria o berreiro e eu chorava junto, de tanto vômito e achando que ele tinha algo de errado). Mas entendo muito o teu sentimento de esgotamento. Algumas noites chorei de cansaço. Sempre dando o peito antes de sair e, as vezes, no meio do caminho ter que dar, antes de chegar ao nosso destino.

    Saiba que estou meega orgulhosa de ti, da mãe que és e que se tornou. Você está dando o máximo de ti, antes mesmo de engravidar já havia mudado tua história. Lembro a primeira vez que li teu blog e vendo hoje, muuuita mudança e para melhor.
    Tu sabe muito bem, mas não custa lembrar: maternidade é algo que está totalmente fora do nosso controle. Saiba que está dando teu máximo e fazendo o melhor pela tua filha. Viva muito esse momento. Agora parece complicado, mas vai passar tão rápido...aproveita esse momento, só de vocês.

    Um beijão nessa família linda. E um abraço meeega apertado em você <3

    ResponderExcluir
  13. Pensei muito em vc na semana passada...nessa história da amamentação...
    Não vivi na pele essa dificuldade de saber o "pouco" que a bebê engorda por dia apesar de estar o dia inteiro plugada, mas fico imaginando (e me angustiando com) a pressão!
    Te vejo apaixonada (pela sua filha, claro, mas tb pela causa em si), informada, empoderada, dedicada...e percebo toda a força que está aí pra fazer essa história dar certo! E já está dando!
    Mas, ao mesmo tempo, fiquei muito pensando que senti falta de te dar colo, sabe?! Oferecer o ombro (ou o whatsapp) pra conversas e choros e comemorações... Eu (ainda! hehehe) não sou consultora em amamentação, mas sou amiga e estou aqui pra o que vcs precisarem, ok?!
    Força, Dani!!! A ocitocina e o leite estão escorrendo aos litros, dá pra sentir daqui!!!

    Beijo grande!

    ResponderExcluir
  14. Dani, meu nome é Adriana e para mim você é um exemplo e uma guerreira por todo o processo de parto e agora pela amamentação. Acabo de ler esse relato e me identifiquei demais! Queria tanto alguém com uma história de amamentação parecida com a minha e a sua é... Só que no meu caso houve dois agravantes: foi com minha primeira (e única) filha, então eu não tinha a menor experiência e nenhuma história para superar (o que te incentivou ainda mais) e os bicos dos meus dois seios racharam. Sofri demais, Dani. Por 40 dias eu só chorava, fiquei muito deprimida. Queria sair um pouquinho, ver gente, andar na rua, dar atenção ao meu marido e a mim e não era possível. Seios à mostra ficou super normal. A tristeza me fazia sentir uma péssima mãe e eu falhei nisso, pois deixei ela me dominar por muitos dias... Mas deu tudo certo, minha filha mama no peito até hoje, com 1 ano e 6 meses. Só que eu não quero outro bebê não. Muito boa sorte. Vai dar tudo certo!

    ResponderExcluir
  15. Por essas e outras que nos dizem que parir é apenas a menor das dificuldades que se iniciam com a maternidade. Eu também tive muita dificuldade em amamentar minha filha. Ela também chorava muito, também perdeu peso, também foi receitada com NAN. Eu sofri muita pressão por parte da família e pelo meu marido a acatar essa orientação imediatamente e com toda disciplina possível. Me senti frustrada, sozinha, desamparada. Mas quando percebi a melhora extraordinária do humor da minha bebê, acabei aceitando que o complemento deveria permanecer por ali. Fiquei firme no propósito de manter a amamentação, do pele a pele, dela no meu peito. E assim permanecemos até hoje. O complemento nunca saiu, mas ela, hoje com um ano, até hoje sempre tem o pepê quando procura. Muito amor!
    Bjs

    ResponderExcluir
  16. Oi!
    Vim dar uma espiadinha e te convidar para conhecer meu mais novo projeto e também para aproveitar o desconto de 20% em brinquedos educativos para leitores do blog!!!
    http://coisasdamaura.blogspot.com.br/2014/11/brincar-pode-ir-muito-alem-da-diversao.html
    Bjs,
    Maura

    ResponderExcluir
  17. Dani, nunca comentei aqui, mas hj sinto que devo compartilhar com vc minha experiencia em amamentar meu segundo filho. Meus dois filhos nasceram de parto natural, mas no nascimento do meu 2 filho não senti a descida do leite, nada de peito duro como na primeira vez. Fiquei muito ansiosa com isso, o que só piorou as coisas. Meu filho veio pra casa e chorava o tempo todo tbem, perdeu muito peso, eu estava esgotada, extremamente vulnerável e angustiada em relação ao meu 1 filho que estava muito enciumado e sem nenhuma atenção da minha parte. Enfim, o inicio foi um caos! A pediatra me sugeriu entrar com o complemento e eu relutei muito, mas tbem não achava justo deixar meu nenem com fome. Eu não queria dar mamadeira com medo do desmame precoce. Entao, pesquisando na internet, me informei sobre a técnica da relactação e foi o que me salvou! Fui ate o banco de leite da minha cidade (sou de BH) e lá tbem me orientaram sobre a técnica. Confesso que, no inicio, achei um pouco trabahoso, mas depois me acostumei e com o tempo fui percebendo que minha produção de leite aumentou muito. Meu bebe passou a engordar bastante, eu fiquei mais tranquila e a coisa fluiu. Aos pouco fui diminuindo a quantidade do complemento, oferecendo em algumas mamadas apenas. Continuo amamentando, meu bebe esta com quase 9 meses e não mama mais complemento. Entendo perfeitamente sua angustia e inquietação, as vezes realmente não é fácil. Mas me parece que vc já tem aquilo do que mais necesitamos nesse inicio: desejo de amamentar e dedicação. Estou torcendo pra que minha xará mame por muito tempo!!! Qquer coisa estou a disposição pra te contar melhor sobre a minha experiencia c a relactação. Se quiser, deixe um comentario que te passo meu email. Boa sorte, vai dar certo!!!
    beijos,
    Helena

    ResponderExcluir
  18. Te admiro pela força que você tem, sou mãe de dois meninos, e tive duas tentativas nada boas de amamentação, acho que foi devido as duas cesarianas de emergência que tive, na primeira tentativa me vi sem leite nenhum e um bebê que não conseguia sugar isso foi há quase 5 anos, e a mais recente tentativa foi há 10 meses, quando tive meu segundo filho e tive mais leite que durou só até 1 mês, na primeira experiência entrei em depre por isso e na segunda quase entrava também mas Deus me ajudou a superar isso, tentei o máximo de mim, e o perrengue na amamentação não quero que faça parte da minha próxima e tão sonhada gestação quero fazer igual a você Danny, acho que o que mais atrapalhou foi as visitas nas horas mais erradas. Continue tentando, vejo que você é forte e batalhadora, te admiro muito por isso, e não é atoa que te sigo aqui no blog desde o início. Abraços!

    ResponderExcluir
  19. Flor, muita dedicação por aí! Não sei como é isso porque aqui o leite jorrava mesmo. Mas imagino que não está sendo fácil. É muita renúncia! Você sem tempo pra Laura, sem tempo pra você...dá até uma dor aqui no meu coração. Mas a Helena precisa de você e esse olhar é um agradecimento. Logo tudo estará mais tranquilo (eu ache os primeiros meses difícil, rs).

    Grande beijo em vocês!

    ResponderExcluir
  20. Dani sou da opinião que não dá para remar contra a maré, muitas vezes é um esforço tremendo e um desgaste intenso. Para que? Você tem consciência de tudo, você é decidida com o que deseja de melhor para suas filhas e isso basta. Tenho certeza que tem feito o melhor para cada uma delas, que está garantindo a melhor amamentação para a Helena, mesmo que seja com pequeno complemento. Não se cobre tanto, não exiga tanto de você e viva intensamente esse olhar, essa relação maravilhosa entre vocês duas. Um grande beijo.

    ResponderExcluir
  21. Oi, Dani!

    Desculpas por me intrometer, mas o tema da lactância me apaixona e decidi te escrever ;).

    A primeira coisa que eu me permito te dizer é que tente tirar a suplementação. Por quê? Porque vcs estão no ajuste da amamentação e o que ela toma de leite artificial o seu peito deixa de produzir. É vc mandando msg para o seu corpo de que não precisa de mais (quando sim precisa). Meu tesouro (que hoje tem 3 anos e 5 meses) também não ganhava peso ao princípio e o que eu fazia era extrair meu leite e dar para ele depois de cada mamada. O pouquinho que extraía eu dava. É cansativo? É. Mas te digo que vale a pena. Muito! TAlvez ela não esteja engordando ´porque só está tomando o primeiro leitinho que é água, não tem gordura. Por isso é importante esvaziar bem um peito antes de passar pro outro.

    Li que vc tem ajuda de uma consultora, então ela deve ter visto se a colocação está correta, etc.

    Outra coisa que imagino que vc saiba, é que os bebês têm uma necessidade natural de sucção. Então, que ela passe uma hora no peito não significa que está comendo todo o tempo; pode estar só aliviando a necessidade dela. Necessidade fica e emocional, já que vc é o ser que ela mais conhece neste mundo, quem lhe dá segurança. E como estar mais pertinho de vc? Através da lactância. Não é boba, não! ;)

    Tudo vai dar certo! Nascemos mamíferas! O tempo passa rápido e esse princípio difícil fica logo no passado. Rapidinho ela vai tirar de letra e mamar em 5 minutos (e aí vc vai se preocupar - será o desmame? Rsrs).

    Um beijo! Na torcida pela sua lactância exclusiva!
    Michelle

    ResponderExcluir
  22. Dani,

    Teu relato é igualzinho ao meu, só precisa trocar cirurgia de silicone por redução de mama.

    Passei mais de um mês com bebê praticamente 24h no peito, igualzinho você... Sofri, bebê perdeu peso, sofri, fui no programa de amamentação aqui da minha cidade, sofri, bebe perdeu mais peso mas eu continuava com a ideia fixa de que teria que conseguir, me inspirei em algumas historias positivas, como a da Melania (não sei se vc já leu)...

    O que eu te digo é tente, mas só até onde isso não afete a tua sanidade mental...

    Na consulta de retorno com meu obstetra (40 dias após o parto) ele me alertou sobre o farrapo humano que eu estava, com um pé bem afundado na depressão pós parto... Ele me lembrou que além de leite materno o bebê precisa de uma mãe saudável e que eu não estava curtindo nada a minha filha... Me conformei que ela precisava do complemento, eu não poderia negar isso à ela... Esta conversa foi libertadora....

    Mamou até meados de 4 meses, no começo com relactação, mas depois de um tempo começou a machucar a gengiva dela e aderi a mamadeira... Chorei uma noite inteira antes de dar a "maldita"...

    Enfim, foi e ainda está sendo muito difícil, a culpa da cirurgia (que fiz com 18 anos e na época era a coisa mais importante da minha vida me corrói) entendo perfeitamente o que você está passando e só te peço cuidado, pois esta situação pode levar à depressão,... Ou o tempo vai passar e vc não vai curtir a sua bebê.

    beijo para as três!

    Daisy

    ResponderExcluir
  23. Putz...

    Tbm passei muito perrengue com a amamentação. Aqui Mel não pegou de vdd o peito por 2 meses e meio. Era tudo tirado na bombinha e dado pra ela, através de mamadeira e depois complementava com Aptamil. Me sentia um fracasso alguns dias, outrros me sentia uma heroína! Qdo ela por fim pegou, foi outro perrengue. Não fazia mais nada a não ser ficar com o peito de fora e ela mamando o tempo todo. Mamava 15 min, cochilava e acordava logo em seguida! Passei dias sem um banho ou uma refeição decentes!
    Resolvi tirar o complemento e oferecer só o peito qdo ela fez 3 meses. A ambiguidade de sentimentos voltou: Ela, que dormia bem à noite, passou a acordar muito pra mamar! E foi assim até os 6 meses qdo, por fim, passei a dar alimentos sólidos, junto com o peito!
    Hj me sinto vitoriosa, mas foi punk na época!!

    Espero mesmo que as coisas estejam melhores por aí!

    Beijos em vcs!

    ResponderExcluir

Sinta-se a vontade para viajar no comentário! =)
Ele será respondido por aqui mesmo, ok?

Beijas!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 


up