02 junho 2014

/

Mimimi - As (eternas) dúvidas do maternar

29 comentários:

  1. Flor criança NECESSITA de alguém que lhe impõe limites. Ela não vai saber nunca a hora de parar se não tiver um adulto que lhe indique.Crianças só vão obedecer quem elas respeitam. E para ganhar respeito, é preciso ser a autoridade, é preciso colocar ordem antes do amor.
    Autoridade é o contrário de democracia. Os pais não podem estar sempre abertos “o que querem comer, o que vamos fazer hoje, onde vamos passar as férias”. Entende como é complicado para a criança ouvir isso? Sentir que não existe uma ordem. Ela no auge dos seus 4 anos (ou por volta disso) é que precisa saber, querer e lidar com seus desejos.
    Espero que não leve a mal esse comentário, digo isso por experiencia, sou professora e convivo com muitas crianças, estudo e estudo muito a respeito. bjs e boa sorte com sua linda pequena.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Diane, sem problema algum no seu comentário, imagina.

      Não há, em casa, qualquer análise da Laura quanto ao que ela vai comer, beber ou fazer.
      Concordamos integralmente que os pais têm que traçar limites, regas, e que criança precisa de rotina. Quem tem que definir o almoço são os pais, quem tem que definir férias são os pais, quem define a escola que ela vai, são os pais. Sem dúvida alguma!
      Aqui em casa nós fazemos isso, nós somos pais (pai e mãe), sem abrir mão disso em nenhum momento.
      Eu, como mãe, sou mais permissiva, mais emotiva e mais paciente do que o meu marido e isso talvez esteja bagunçando a cabecinha dela.... não sei.

      Concordo com tudo o que vc disse e não abrimos mão de sermos os pais, apenas queremos entender (mais eu do que ele, fato), como fazer par anão perder a mão nem para um lado, nem para o outro.

      Beijos e obrigada!!

      Excluir
  2. Ai Dani... parece aqui, mas a diferença é que Nina tem 1 ano e 10 meses.
    Ela está desaprendendo algumas coisas, como comer sozinha. Está um inferno a hora das refeições... e na escola está igual.
    Semana passada fomos chamados e convidados a conversar com a professora porque Nina está agressiva, briguenta, manhosa e mal educada.
    Imagine a minha cabeça como está!
    Estou triste mesmo. Chateada. conheço minha filha. Ela é inteligente e se está assim, tem algum motivo. E é isso que estamos tentando descobrir.
    Nos finais de semana, é tudo tranquilo. Acho que ela sente nossa falta (eu e o pai). E na escola, está com muitos colegas, e quer atenção.
    Acho que é isso: ela quer atenção.
    Já percebi que se somos firmes e enérgicos, ela também é. Esperta.
    Se somos amáveis, temos paciência, ela também o é... Esperta!
    Enfim, estamos tentando... é difícil. dificílimo... Mas eu quero acertar. Porque como você disse: estamos educando, formando um ser para o mundo, apra a vida. E queremos sempre dar o melhor.
    Não quero criar uma menina "princesa". Quero criar uma menina inteligente, com vontades, que saiba correr atrás do que quer. Mas as vezes isso dá trabalho. Mais do que deixar correr...
    E vamos tentando!
    Bjo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bibi, dá cá um abraço, mulher!!!!

      Entendo vc.... apesar de Laura ser uma lady na escola e com a família (no geral), ela é do avesso conosco. Quando eu estou perto, então... esquece. É choro atrás de choro.

      Agora, aconteceu alguma mudança na vida de vcs? O que estaria levando Marina a virar uma menininha irritada, irriquieta?

      Não fique chateada mais do que 5 minutos. Desabafe, escreva, converse, leia, mas faça algo para melhorar. Nós temos que melhorar sempre, sem encarar um campo de concentração em casa, mas tbm não ser um camping de férias a vida inteira.

      Um beijo enorme!!!

      Excluir
    2. Pensando aqui e analisando, conversando com a professora, a única coisa que vi de diferente é que a turminha dela recebeu mais 6 alunos e uma professora nova. Aumentou a concorrência de atenção, né?!?! E a Marina é uma criança que exige atenção. Ela quer colaboração pra tudo. E quer ajudar também. Mas não gosta de fazer nada sozinha. é muito parceira.
      Então, acho que ela sentiu isso.
      Estou tendo a maior paciência em casa, com ela. Estamos!
      E dando muito beijo, abraço, e tudo mais. Está dando certo... pelo menos nesses últimos dias ela está melhor. Espero que seja só isso... ou uma fase mesmo que ela esteja passando.
      Beijo pra vcs também!

      Excluir
  3. Eu não vou palpitar porque não tenho filhos (e por mais que eu pense que sei algumas coisinhas na teoria, essa realidade sempre volta para mim, como o cuspe que cai na testa). Só vou dizer que tenho certeza absoluta que essa fase vai passar. O fato de você racionalizar dessa forma, de se questionar, de buscar alternativas diferentes ao senso comum e de buscar conhecimento já me dão essa certeza. Porque uma Mãe com M maiúsculo é, na minha opinião, a que PENSA, a que não repete comportamentos por repetir, a que reflete.

    Espero que os livros te dêem uma luz. Mandei o pdf pro seu inbox do FB, olha lá depois.

    Um beijo e muito boa sorte. Precisando de qualquer coisa, é só gritar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lore, vc é um anjo!!!!!!!!!!
      Hoje eu chorei quando vi que vc me mandou o PDF (sim, eu estou mega sensível e ainda quando o assunto é minha filha... imagine....)....
      Muito obrigada por todo o apoio e compreensão. Vc é foda!

      Beijos enormes e obrigada por tudo!

      Excluir
  4. Nossa Dani eu to me vendo em alguns pontos no seu texto, meu Miguel um menino doce,adorável e super carinhoso de uns dias pra cá,anda numas birras,num choro grande,as vezes perco a paciência fácil outras vezes não,me sinto perdida,dia 5 ele completa 18 meses já tentei entender o que anda se passando com ele mais tá difícil,se dizemos não a ele o choro e grande cai no chão e muitas vezes ate quer nós bate,o pai e mais paciente com ele já eu me seguro bastante pra não explodir,tem dias que choro por que não e fácil eu quero ser muito uma excelente mãe, me cobro de mais,quero educar meu menino pro mundo,mais não tem sido fácil mais tudo ira se resolve Dani,talvez não seja ciúme da irmã ? lê em outro blog uma mãe contando desde que quando soube que tava grávida do segundo filho com o tempo o primeiro filho foi mudando,voltou a fazer xixi nas calça as vezes falava como um bebê,chorava por tudo, será que a Laura tá com ciúme ?! Forças Dani.. Beijinhos !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sâmera, não é fácil....

      Temos todas as fases e essa dos dois anos (ou próximo de) também é muito complicada.

      Eu já chorei muito, inclusive ontem rs.... é natural que a gente extravase de alguma forma.

      Um beijo grande e boa sorte para nós!

      Excluir
  5. Dani, abraço apertado, gata!!
    Você é uma mãe maravilhosa, acredite nisso. As dúvidas surgem e veja só, não dá pra fazer uma pausa no tempo, pra gente analisar as melhores alternativas AND colocar em prática, né? Fico puta com isso, hahahaha. Juro que as vezes eu só queria 5 minutos de pausa pra tomar a melhor decisão, sabe? Mas não dá e a gente tem ir fazendo tudo ao mesmo tempo, e com isso, essa sensação de estar em falta com algo tão importante na nossa vida é difícil mesmo, te entendo.
    Mas você está no caminho, saiba disso. Nada é definitivo e, com a consciência e a vontade de fazer dar certo que você tem, as coisas hão de melhorar aí na sua casa e na vidinha da Laura.
    Tem um monte de mudança acontecendo né, talvez ela não esteja sabendo lidar muito bem, mesmo as que são boas pra todo mundo. Você tendo segurança das suas decisões e atitudes, é o melhor passo, pois eles sentem isso tb.

    Vamos almoçar em breve pra conversar mais disso, se vc quiser - e puder!
    Tô contigo!!

    Beijo grande!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amiga, 5 minutos de pausa seriam excelentes se tivéssemos essa chance de vez em quando, não?

      Mas não temos.... o que nós temos é o poder de racionalizar, contar até mil, respirar, sair de cena, voltar mais calma....

      Vamos almoçar, sim.

      Vamos nos ver.

      Quero ir até vc.

      Beijos grandes e obrigada por todo carinho, sempre!

      Excluir
  6. Eita amiga..fase dificil hein.. Laura bemm naquela fase em que eles se acham os DONOS do barraco rss..e ainda por cima a mamae gravida. Como professora de jardim de infancia..já vi isso muitas vezes acontecer.. e acredito q muito do q esta acontecendo seja sim por conta do novo bebe..as crianças mudam MUITO. No colegio era visivel..a barriga da mamae começava a crescer..os problemas começavam a surgir junto rss. E depois q o bebe nasce..tende a piorar um pouquinho rssss ..mas só no começo.
    Muita força e paciencia..pense q eh só uma fase..logo logo passa.
    bjokas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pri, é isso mesmo! Ela se acha a dona do barraco... =) adorei.
      Muita paciência, amém!!!

      Um beijo grande em vc e na fofa da Nathy!

      Excluir
  7. Dani,posso te dar um abraço?? Pq conselho eu não posso dar, ainda não cheguei nessa fase dos 3 anos, irmã pra nascer e tals. Acho que é só mais uma fase,logo passa e vc vai rir qdo ler o post daqui uns meses. Sobre os livros, acho que sempre ajuda. Adorei o "crianças francesas"; sou fã do dr. Carlos Gonzales e estou terminando tb "a maternidade e o encontro com a própria sombra" da Laura Gutman. Se quiser posso te mandar esse último,não vou mais usar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Talita, obrigada!
      Abraço recebido! =)

      A Maternidade e o encontro com a própria sombra já está na cabeceira da cama!

      Crianças francesas tbm.

      Beijo grande e obrigada pelo carinho!

      Excluir
  8. Eita coisa boa que é post reflexivo assim!
    Não mesmo estar fácil, mas acho linda a sua capacidade de parar e reavaliar, de se abrir pra encontrar erros e possibilitar mudanças!
    Vai ficar tudo bem, tenho certeza!
    Força, Dani! Força e paciência!
    Um beijo e um abraço apertado!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gabi, obrigada!

      Por mais difícil que seja, precisamos estar prontas para reavaliar sempre, não é?

      Paciência está nas minhas orações, acredite.

      Um beijo grande em vc e na lindeza da Cecília!!

      Excluir
  9. Ai Dani, me dá um abraço ! Mateus está exatamente assim ! Chora por tudo, se joga no chão.....e sempre que eu perco a paciência e grito, fico mal depois. Não quero educá-lo assim, no grito. Tem uma coisa que eu não havia parado pra pensar, uma das suas perguntas: será que por ser o pai mais rígido, eu tento amenizar? Certeza ! O pai é mais duro, quer colocar de castigo (aboli cantinho do pensamento em casa), então eu tiro ele de cena, no colo sempre (e sou criticada por isso), converso, acalmo, beijo....no fim ele sempre pede 'dipupa mae' e eu pergunto 'voce está pedindo desculpas por que?' e ele fala exatamente o que estava fazendo de errado. Ou seja, acredito que seja esse o caminho. Mas é difícil, muito difícil. Te admiro por ter paciência de ainda ler esse monte de livros....eu não tenho saco. Acabo indo pela minha intuição, mas ela não tem sido muito parceira ultimamente....rs.
    Beijos em voces !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é, Lu, a intuição não é tão amiga, mas eu acho que NUNCA falha, viu?

      sigo muito neste caminho de dar beijo, abraçar, acolher, dar colo.... acho que eles precisam de colo, especialmente qdo fazem algo errado (e não serem crucificados por isso), claro, sabendo medir o "algo errado", não é?

      Eu vou ler o maternidade e o encontro com a própria sombra, o besame mucho e o das crianças francesas que são melhores que as nossas.

      mas não leio esperando respostas, e, sim, mais reflexões.

      Beijos grandes!!

      Excluir
  10. Dani, é muita coisa ao mesmo tempo! Não se cobre tanto. Eu sei que mais fácil falar, mas acredite.
    Se vc está se abrindo para a pedagogia Waldorf e a visão antroposófica, eu recomendo um livro muito bom chamado Criança querida da Renate Keller Ignácio.
    Paciência você já tem, e isso como sabemos ajuda muito.
    Força, que o caminho da maternidade é por vezes espinhoso, mas você o está trilhando bem.
    Beijo nas três

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. |Gabi, eu estou encantada com a pedagogia Waldorf. ENCANTADA.

      Livro anotado!!!! Vou ler sim!!!

      Paciência, pelas críticas recebidas, não é lá muito bom na educação conservadora de direita, mas eu tenho mesmo e que eu seja revolucionária, tudo bem. Minha filha será educada com base em amor, carinho, dengo e colo.

      Beijos, chuchu!!!!

      Excluir
  11. Dani, acho que a fase das crianças de se sentirem reis anda rondando nossas casas...por aqui, Dan, em momento de fúria, que pode ser só porque não coloquei o suco no copo que ele queria, "transforma-se" no Hulk!!! Tira a blusa e bate as mãos no chão!!!!!!!!! Eu não sei se gargalho ou se choro de raiva!!! Porque é até engraçado na primeira vez, mas depois a gente se preocupa com esse total descontrole, que nos descontrola, que faz todo mundo gritar e a casa vira um circo de horror...e colocar limites, a gente coloca, né?! Mas, nem sempre é tão simples...mesmo dizendo que vai ficar sem um brinquedo ou que não vai mais a algum passeio, não resolve. É um teste!!! Tem que ser um teste!!!! De sanidade, de paciência e de amor! Seguuuuura, peão!!!!
    Sinta-se abraçada!!! Eu tb ando precisada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Myriam, sabe que de ontem para hoje as coisas mudaram um pouco? Não a realidade, em sim, mas eu mudei.... assumi minha personalidade mais tranquila mesmo, assumi que crianças são assim, são de fases, e que mesmo as crianças mais boazinhas dão trabalho em algum momento.... ou em alguNS momentos. Normal.
      O que eu não aceito é ser quem não sou para cumprir protocolo, para ser a "mãe pulso firme" ovacionada nas ruas, para ser elogiada por quem quer que seja. Acha que eu sou fraca? Beleza, engole essa manga, pq minha filha é muito boazinha e educada, então errado mesmo não estou fazendo.
      O que acontece - e tira a gente do sério - é que criança não é uma constante.... e isso nos deixa sem roteiro pro fim de semana, sabe? Se o Dan é bonzinho (como sei que é) e de repente tem um mês que dá mais trabalho, faz mais birra, manha, se bate e tals, você vai agir como acredita ser o certo, mesmo sabendo que pode ser que não mude o comportamento dele. Vai passar! Na hora certa, vai passar! Com a maturidade que ele adquirir, vai passar. Não vai ser na sua hora (não estou falando que vc crie essa expectativa), vai ser na hora dele.

      Nós, mães, temos mais senso de empatia com eles do que o resto do mundo (a maioria, não todas, claro). E por mais que sejamos firmes, que tenhamos horários definidos, que sigamos todas as regras do jogo, mesmo assim eles vão dar tilt!!! E às mães cabe: ser mais paciente com o momento ou ser mais firme para educar.

      É o que eu acho e a conclusão que cheguei de ontem pra hoje.
      Amanhã é outra.
      =)

      Beijos, amiga. E força!

      Excluir
  12. Ah,fiquei curiosa para ler sobre o não chá da Helena e mais sobre parto humanizado!!! Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Talita, os posts virão, prometo!!! Beijos!

      Excluir
  13. Vim ler os comentários pra saber o que vc e as outras mães diziam mais sobre o assunto....e vou aproveitar pra fazer como a Talita e falar que estou curiosa sobre os outros posts
    ;)

    http://desejodebebe.wordpress.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahahahahaha
      que bom!
      Escreverei em breve!

      Excluir
  14. Ai Dani, imagino como deve estar sendo difícil pra você.

    No momento estou lendo "Crianças francesas comem de tudo", pois o LG começou a comer a pouco e nós mães queremos que nossos filhos sejam aquele serzinho que adora um brócolis né?! aeuhaeuhaeu

    A leitura (como muitas coisas na vida) está atrasada, o tempo livre está pouco, LG está naquela fase que parece que no carrinho tem formiga, só quer braço, está bem pesado, e eu termino o dia um caco! /o\

    Cada fase um "trabalho" diferente... uma preocupação...

    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso mesmo, Mara, cada fase com o seu trabalho.
      Mas ó, não surte com a alimentação dele, viu??? Ttenho certeza que sendo apresentado e tendo a oportunidade de experimentar várias vezes, ele vai gostar de verduras e legumes. Nada muito rígido, muito espartano, não.
      Fique tranquila que a introdução alimentar é um processo lento, mas muito bacana!

      Quanto ao livro, não leve ao pé da letra e use o que vc conseguir, mas não se culpe se não for do jeito que vc espera.

      Boa sorte nesta fase!

      Beijos!

      Excluir

Sinta-se a vontade para viajar no comentário! =)
Ele será respondido por aqui mesmo, ok?

Beijas!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 


up