16 abril 2013

/

Diário do desfralde - parte I

53 comentários:

  1. Que texto mais lindo! Desabafa mesmo, Dani, pode chorar, porque alivia a alma e muitas vezes ajuda a enxergar uma saída depois.
    Queria escrever mais, mas esse texto mexeu comigo, então calma que eu tô chorando um pouquinho e depois eu volto pra comentar!

    Sinta-se abraçada!

    Um beijo,
    Marina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marina, querida, abraçadíssima!! =)
      Obrigada!
      (Volte para terminar o comentário, quero saber!)

      Excluir
  2. Chorei, Dani!
    Mas não se sinta só nessa. Com você, está boa parte das mães do mundo que, por necessidade (seja financeira, seja emocional), trabalham fora. Mas ela sabe, com certeza, que não há no mundo quem a ame mais.
    Também estou ruim hoje...Talvez precise fazer uma cirurgia e ficar alguns dias longe da Manu. Só de pensar, caio no choro!

    Beijos e força!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pati, sei que não estou só e, ainda, que tem mais mães comigo do que em situação oposta. Estamos todas juntas!

      Agora, me conta, o que há? Que cirurgia? Pq? Manda e-mail!
      danirabelo@terra.com.br

      Vamos nos falar!
      Beijos!

      Excluir
  3. Menina, que dificil, hein? Adia esse desfralde, deixa o inverno passar, faz outro esquema... nao vale a pena. o meu mais velho desfraldou depois de 3 anos, a do meio so desfraldou com a idade da laura porque ela tava na escola numa turma mais avancada e ela era a unica menina de fralda, entao o interesse partiu dela. nao se torture por tao pouco! a questao do nao estar com a sua filha, isso sim é importante, ne? pensa com carinho como estar mais presente. e lembre-se que pai e avó tb nao importantes, sao extensoes da mae, porque mae tb precisa de extensoes. Se voce faltar, a quem ela vai recorrer? à chupeta? ao leite quente? deixa ela fazer seus lacos com outras pessoas, mas pense se dá pra voce estar mais presente!
    beijos, força!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mari, eu avaliarei isso menina...
      Se o desfralde transcorrer tenso, cancelarei e adiarei para setembro, quando eu tiver em férias.
      Ponto.
      Ainda, a Laura é a mais velha da turma dela, todos estão com fraldas e abaixo de 2 anos...
      Obrigada pela dica das extensões, é muito válida!
      Um grande beijo!

      Excluir
  4. aaaai, não tem mãe que não se emociona lendo isso... até as mais duronas...rsrs
    sinta-se compreendida..
    bjos
    perolasdealanis.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Ai Dani... Cheguei ficar com uma dor no peito...!!!
    Pq, heim... a gente luta por tanto quando o mais importante esta a dois passo de nós.. mas estamos cansadas de mais para conseguir enxergar!!
    Se serve de consolo um abraço.. sinta-se abraçada... esses dias de (cão) questionamento nos ajudam a refletir e tomar o melhor rumo para as nossas vidas, mesmo que esses rumos sejam os que já estamos seguindo!!!

    Essa p** de nuvem cinza que insistem em nos perseguir... ai ai!! Vou torcer por dias de sol por aí, viu!!! Dias de brincadeira na pracinha e de andar de bicicleta pela rua!!!

    Gostei muito do seu parentese sobre religião.. não sigo nenhum, apesar de ter minhas crenças.. e respeito muito que respeita e tolera a diversidade religiosa!!

    Sobre o desfralde... na minha humilde opinião, esperaria mais um pouco!!! Esse processo deve ser feito com maior tranquilidade e naturalidade. Se ela reagiu dessa forma, pode não estar pronta!!

    Bj grande e abraço apertado em vc!!!

    Ah.. te achei no face! Não sei se aceita "desconhecidos", mas te adicionei, lá!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Martha!
      Primeiro: vc é Albuquerque?

      Segundo: obrigada pelo carinho! Estamos passando fases bem parecidas, especialmente no que tange ao trabalho e cuidados com as filhas.
      Sobre o desfralde: se continuar tenso, eu adiarei para setembro, nas minhas férias. Veremos....

      Obrigada pelos abraços, senti-me acarinhada!!!

      Um grande beijo e obrigada por sempre me ajudar por aqui, viu?

      Excluir
    2. Sim.. sou Albuquerque!!! rsrs

      Voltei..para ver o q desenrolou nos comentários.. e acho que esta todo mundo meio que no mesmo barco.. pena ter dias tãããão mais difíceis!!!

      Vamos esperar que passem e que no dia seguinte seja mais leve!!

      Bjnhos aí!

      Excluir
  6. Dani Dani...este texto mexeu comigo e com todas as mamães que trabalham fora, tenho ctz! Alguns dias atrás estava muito triste e perdida, com vontade de abandonar tudo sabe, trabalha menos, ficar mais tempo com a Lavinia, enfim... venho buscando diáriamente um melhor caminho para todos nós! Espero que vcs encontre também :)

    Com relação ao desfralde, não se culpe tanto por isso! Pode ser que ela ainda não esteja preperada, se for o caso espere mais.

    Tudo se ajeita TUDOOO!
    beijos em vcs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rê... Rê...
      É difícil, não, mulher????
      Tem dias que eu acho que nasci para ser uma executiva de sucesso, dona do mundo, viver de terno e salto alto... tem dias que eu trocaria todo o dinheiro que existe para poder estar com a minha filha.
      A ideia é esta: buscar o equilíbrio. Sempre!

      Beijos!!

      Excluir
  7. Ai Dani assim você mata as mamães que trabalham fora!

    Eu vivo pensando nisso e tem dias que dá vontade de chutar o balde mesmo. Mas sei lá, existe a necessidade financeira ou até mesmo o gostar de fazer algo fora sabe? Acho que o importante é avaliar o que é melhor, o que vale a pena...mas acredito também que a Laura sabe que pode contar com você sim! O fato de você não passar o tempo todo com ela não muda o cuidado, a sua dedicação em relação a ela, às coisas dela.

    A gente fica triste mesmo, eu sei...

    Sobre o desfralde ainda não chegamos lá, mas não fica triste não. No início deve ser assim mesmo, tudo que é novo exige adaptação. E acho que o melhor é ir com calma, ter muita paciência.

    Já disse que acho ela a sua cara?

    Beijo cheio de carinho!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deia, equilíbrio, amiga.... é equilibrar...
      Tem dias que dá vontade de me mudar para a roça, levar a minha filha junto, meu marido e uma trouxa de roupa apenas. Começar do zero, viver do que a natura nos dá, não depender de dinheiro.... pq, se eu penso no dinheiro, eu chego à conclusão de que eu PRECISO trabalhar, fazer o quê?

      Eu gosto de trabalhar, gosto da minha independência financeira, gosto de toda essa atmosfera. Só não gosto de estar longe da minha filha.

      Excluir
  8. Daniiiiii, que saudadeeeee de comentar.
    Está mto corrido pra mim mas estou aqui todos os dias mesmo não comentando.
    Vou comentar rapidinho aqui pq hj vc mexeu comigo.
    Dani, vou ter que biajar 4 dias a trabalho!! Eu nunca fiquei mais de 6 horas sem ver ele e agora? 4 ANOS(dias)? Será uma eternidade.
    Como que eu faço???
    Socooooooooooooorooooooo, me abraça?
    Ficar longe de quem mais amamos é a coisa mais dificil do mundo!
    Como ser forte? como suportar?
    Claro que trabalhamos por eles, mas não é facil né?

    Um grande, enorme abraço.

    Talitha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Talitha, dá cá um abraço!!!!

      4 dias????

      Jesus.....

      Boa sorteeeeeeeeee!!!!!!

      Não é fácil para ninguém. Mas estamos juntas!!

      Beijos!

      Excluir
  9. Algumas pessoas me fizeram chorar nessa blgsfera, e vc foi uma dessas. Tive momentos muitos assim iguais ao seu, mas ninguém me entendia, achava que era só "drama" meu.
    Esse ano conseguir reduzir minha jornada de trabalho, apenas para o período em q minha menina está na escola, mas diariamente me pergunto: Até quando vai dar certo? Não foi fácil, e sei que pra algumas realidades isso é quase impossível.
    Não se sinta a única no mundo, te acho mãezona pq já leio seu blog há algum tempo (apesar de não comentar). O blog tem essa função, desabafar, colocar pra fora, e isso por si só já nos alivia e nos faz um bem danado.

    Sobre o desfralde, não adiantar arrancar os cabelos, pq sua menina pode não estar no momento certo pra que isso aconteça. Pense se não vale a pena esticar mais pra frente, num feriadão, ou até mesmo em suas férias. Vc não vai se arrepender, aqui em casa fizemos assim. Em janeiro nas minhas férias e foi muito ótimo! #ficaadica!

    Sinta-se abraçada, recarregue as energias e o coração! Força na peruca.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Manu, obrigada pelo carinho, pelas palavras e pelo apoio!

      Realmente, muito penso sobre os dramas da vida de mãe - até onde doi realmente e qto é drama... não sabemos... mas sei que doi, viu?

      Não consigo reduzir a minha jornada de trabalho, mas o que me aflige não é trabalhar, pq eu gosto, é estar longe da minha filha, pq isso eu não suporto mais.

      Obrigada pelo carinho e pelas palavras... mesmo!!

      Eu reavaliarei o desfralde, com certeza! Veremos como anda...

      Obrigada pela dica tb! Pelo que entendi a sua filha desfraldou com 2 anos e tanto, então??? Bacana!!! Foi tranquilo?

      Beijos grandes e obrigada pelo carinho!!!

      Excluir
    2. Oi Dani, voltei pra responder rapidinho! Sim, minha filha desfraldou com dois anos e sete meses. Sem drama, sem choro e com muito sucesso. Criticado por muitos que achavam ela já velha. Não me arrpendo nem um pouco em ter esperado.
      Quanto ao trabalho, eu entendo que gosta e isso é bom. No meu caso, não minto que foi um misto das duas coisas. Em querer estar proxima da minha filha, e tbm por estar insatisfeita profissionalmente.

      agora que quebrei a barreira de comentar aqui, prometo estar mais presente!

      Bjão!

      Excluir
    3. Só os pais sabem o que é melhor para os filhos, não adianta darem pitacos... se está velha ou não... vcs sabem melhor do que qlq um!!

      Volte sempre!!!

      Beijos grandes!!

      Excluir
  10. É tão difícil isso de ficar longe dos pequenos. Eu cheguei a conclusão de que o salário que estava ganhando não valia a pena e pedi demissão. Agora vamos ver como vai ser!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eba, que delícia!!!!
      Excelente viver em paz, não?
      Beijo grande!

      Excluir
  11. Amore, queria estar pertinho para te abraçar, só mãe entende mãe e me coloquei no seu lugar, acho que senti essa sua angústia! Infelizmente, ou felizmente, nossa vida é feita de escolhas, de necessidades, você trabalha fora, eu trabalho em casa, nas duas escolhas existem os prós e os contras, em todas as nossas escolhas vamos viver momentos em que estaremos felizes e outros nem tanto, mas nem por isso somos mães diferentes no quesito amor, no quesito preocupação e atenção! E pode apostar que sua filha mesmo pequenininha sabe da mãezona que ela tem!

    Sobre o desfralde, se ela continuar estressada é porque não é o momento amiga, espere mais um pouquinho, cada criança tem seu tempo, não adianta! Beijos e boa sorte!

    Precisando de algo estou aqui =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Pam! Eu tb acho que a vida é feita de escolhas, normal, somos adultas, não? Nada é perfeito, nenhuma escolha é 100% feliz, tenho certeza disso. Amo o meu trabalho, só não gosto de estar tão longe da minha filha, o dia inteiro

      Excluir
    2. De qlq forma, somos todas reais, com dias bons e outros nem tão bons assim....

      Ato ao desfralde, não hesitarei em voltar atrás, se for o caso.... Analisarei ainda.

      Beijos grandes!!!

      Excluir
  12. A vida segue sempre em frente, o que se há de fazer? Infelizmente os nossos bebês crescem (infelizmente de novo).

    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Ai ai...já vou me preparando para essa tarefa. Até lá ainda tenho alguns meses! Muito complexa essa vida de mãe, mas não há nada melhor.
    Boa Sorte com a pequena!
    bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, querida, boa sorte para vc tem, qdo for a tua hora!
      Beijos grandes!

      Excluir
  14. Por aqui o desfralde já rolou e no começo eu também esperava por tudo isso, mas foi mais fácil do que eu achava sabia? Ele nasceu 7 dias depois que a sua filha! Foi bem dificil para mim perder alguns momentos do Murillo por estar trabalhando, me idenfiquei tanto com o seu me emocionou muito, quantas vezes não voltei chorando para casa no carro.
    Beijos Ca
    Amei seu blog!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém, Camila, amém!!! Tomara que aqui fique mais simples daqui uns dias....

      Excluir
    2. Obrigada pelas palavras!!!! Estamos todas juntas.... Beijos!!!

      Excluir
  15. Dani você tirou o mês pra me fazer chorar né?? fala sério!!
    nossa, me senti tão enredada pelo assunto que quase liguei na empresa pra pedir demissão...
    ..eu sei que no fundo também vou perder tudo isso e muito mais.
    Peço a Deus que nos dê Sabedoria para decidirmos sempre o melhor, e mesmo ausentes, que elas saibam que estaremos sempre juntas, mesmo distantes..
    ..e que os maridos ganhem muitoooooooooooooo pra ficarmos em casa um dia!
    amém.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não Fabi!! Segure-se!! Não peça demissão!! =)
      Cada mulher sabe o que é melhor para si, né? E só voltando ao trabalho vc saberá o que vai te fazer feliz.... quem sabe vc seja muito mais feliz voando e voltando para casa?? Vc só vai saber depois que voltar a trabalhar (e passar alguns meses...).

      Espero que esteja tudo bem com a Lalá! E com vc!

      Beijos!

      Excluir
  16. Dani. Eu trabalho fora o dia inteiro também, e sinto muita falta da minha filha. Porém, não gostaria de parar de trabalhar, porque meu trabalho, além de ter uma função social importante, me realiza em vários aspectos. Creio que a mãe não é a única referência na vida da criança, nem deve ser. Como uma colega ali em cima disse, você tem que deixar a Laura criar laços com outras pessoas (as extensões suas), pois você não é eterna, nem onipresente.

    Na verdade, tenho minhas dúvidas se ser mãe em tempo integral de fato é o melhor para a criança. Ultimamente, tenho visto muita militância nesse sentido na blogosfera, e me incomodo com isso. Por exemplo, minha mãe não trabalhava até eu ter 12 anos, e sinceramente não vejo como isso foi tããããããõ essencial para mim. Não lembro da minha mãe se dedicando a mim 100%, lembro dela presente, claro, mas muitas vezes mais de corpo presente do que de mente presente. Nesse sentido, me considero uma mãe muito melhor para a Sofia do que ela foi pra mim (sorry, Mom!), mesmo trabalhando 7 horas por dia.

    Por fim, quanto ao desfralde: me senti meio pressionada a começar o desfralde quando sofia completou dois anos, em junho do ano passado. Deixei passar o inverno e comecei quando ela estava com 2 anos e 3 meses. E foi muito difícil. Hoje vejo que ela não estava preparada, e eu acabei forçando um pouco a barra e me arrependo muito, pois teve vezes em que perdia a paciência com ela.
    Quando ela voltou às aulas em janeiro (com 2 anos e sete meses), parece que ela largou a fralda muito mais facilmente. Ainda tivemos problemas com cocô na calcinha, mas foi mais tranquilo quando eu deixei de me incomodar com a pressão e deixei ela decidir (sempre estimulando, claro).

    E eu concodo com tua mãe. Deixa o troninho na sala. Eu fiz isso. E ajudou muito. Porque muitas vezes eles não querem parar o que estão fazendo para ir ao banheiro, e se o troninho está na sala, eles não resistem tanto.

    Hoje (2 anos e 10 meses) a sofia não usa fralda de dia, mas usa à noie. E só vou começar a querer tirar a fralda noturna quando ela acordar uma semana inteira com a fralda seca.

    Desculpa a resposta longa ;)

    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Amanda, não peça desculpas, imagina! Adorei tua resposta!!!!

      Concordo contigo que ter mãe em casa não significa ter mãe presente, imagina... aliás, muitas mães que ficam em casa se apoiam neste fato para não estarem com os filhos, sabe????? E eu não defendo que se peça demissão e vá para casa, de forma alguma! Eu adoro o meu trabalho, adoro o que eu faço, já disse aqui mil vezes.... sinto falta de estar com a Laura, de participar mais das coisas dela, mas não me sinto mal em trabalhar fora. De jeito nenhum.

      Tem mães que precisam estar em casa para sentirem-se bem consigo mesmas e eu acho importante que elas consigam isso! Cada uma sabe o que é melhor para si. Algumas adoram o trabalho, não sofrem nada por deixar os filhos na escola, acham ótimo o esquema trabalho/casa/filhos/marido e tudo bem. O que importa é estarmos felizes, e, para cada mulher, a felicidade mora em um lugar diferente...
      Que busquemos a nossa!

      Quanto ao desfralde.... obrigada pela dica do troninho na sala - vc não foi a primeira! Vejo que estou equivocada com isso, né? Vou até falar para a minha mãe voltar o troninho para lá! =)

      Que bom que a pequena está desfraldada e está bem! É importante respeitarmos o ritmo deles mesmo...

      Obrigada por tudo o que disse!
      Obrigada por sempre vir aqui!

      Beijos grandes!!

      Excluir
  17. Ai Dani, meu coração ficou pequenininho, os olhos cheios de lagrima!
    Sei exatamente como se sente, estava nesse esquema louco ano passado.
    Teve um dia que eu chorei de soluçar no trabalho!
    Mas deixa te contar um segredo, parei de trabalhar, só estudo de manhã, pego o Dudu logo depois da minha aula, almoçamos juntos, ficamos a tarde inteira juntinhos.
    Mas eu to sem trabalhar e consequentemente sem dinheiro, fico estressada, irritada, pela falta de grana, pela falta de assuntos adultos.
    Complicado Dani, complicado mesmo!
    Quanto ao desfralde é punk mesmo, estamos há um mês nesse processo, mas a coisa ta indo, ainda existem acidentes mas bem poucos.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ju, que novidade boa, mulher!!!
      Está curtindo, apesar do estress com dinheiro???

      Fico feliz por vcs!!! =)

      Boa sorte nos desfraldes da vida.... para nós! =)

      Beijos!

      Excluir
  18. Oh amiga que situação heim?
    Não a do desfralde, isso é o de menos...
    Mas de querer estar perto e não poder.
    Tipo, você precisa trabalhar, por ela, por você, pela família...
    Mas ó, você tem sua mãe, você sabe que apesar de não estar juto dela 24h por dia, ela está sendo bem cuidada. E tenho certeza que ela entende o porquê você precisa trabalhar!

    Eu trabalho com meus pais, sei que terei um pouco mais de "luxo" nesse sentido de ficar com meu futuro baby. Mas dias desses minha mãe já alertou "seu filho vai ser criado na loja". eu parei, olhei pra ela, fiquei triste, quis brigar, mas calei. Pensei meu filho não vai ter o direito de ficar em casa, de brincar no parque, na pracinha como uma criança normal? Fiquei desapontada =/ Mas depois pensei, pelo menos ele vai estar comigo grudado o dia todo, e eu vou transformar a loja num parque de diversões se for preciso!!!

    beijos e sinta-se abraçada!!!
    ps: vou fazer a primeira ultra hj! tô nervosaaaaaaaaaaaa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mara!!!!

      Esqueci de tudo o que vc escreveu quando li que a sua primeira ultra é hoje!!! uhuuuuu!!!

      Me conta, me conta, me conta:
      quantas semanas?
      qual tamanho?
      ele(a) é lindo(a)????
      =)

      Delícia poder trabalhar e levar seu pequeno rebento, não???
      =)

      Beijos grandes!!!

      Excluir
  19. Ô Dani, sinta-se abraçada agora! Toda escolha tem suas consequencias. Eu não trabalho fora, e tem dias que tudo que gostaria era de estar entre adultos falando e fazendo outras coisas que não às relacionadas à maternidade. Tem dias mais fáceis e dias menos fáceis.

    Quanto ao desfralde, não posso falar muita coisa. O Tomás tem extamente a idade da Laura, mas com a mudança de país, com tanta e todas as adaptações que ele tem passado, resolvi adiar o desfralde. Veja como a Laura vai reagindo, e se for o caso, repense, recomece.

    Grande beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gabi, obrigada!!!
      Obrigada!

      Sei bem disso: toda escolha tem prós e contras e, óh, de verdade, eu adoro o meu trabalho! adoro trabalhar! adoro tudo isso que vivo no trabalho, desde o salto alto até a conversa de adulto.... só sinto muita saudade da minha filha... como faz????
      =)

      Pode deixar que eu vou anotar algumas dicas bacanas - as que funcionarem - para quando o pequeno Tom começar o desfralde. Se não der certo por aqui, tentaremos mais para frente (quem sabe vc com o Tom e eu com a Laura, simultaneamente??).

      Beijos grandes!!!!

      Excluir
  20. Dani, acompanho seu blog, adoro a forma como escreve mas nunca comentei nada. Esse post me fez chorar, de verdade.
    Tenho uma filha com uma ano e 10 meses e nao consigo ficar longe dela. Trabalho fora, mas perto de casa, o que me possibilita leva-la para a escolar na hora do almoço e impreterivelmente pega-la na escola perto das 18 horas. Toda vez que vc fala da dificuldade que é ficar longe da sua boneca me imagino tendo que passar o dia todo longe da minha. Nao penso lutar por espaço melor dentro da empresa pois sei que para isso teria que abdicar meu tempo ao lado dela.
    Que Deus te abençoe e te ajude a encontrar o melhor caminho para que suas angustias terminem. Grande beijo.

    ResponderExcluir
  21. Adorei o seu blog. O seu jeito de escrever, a riqueza de detalhes e claro o carinho que você fala da Laura.
    Abraços,
    Carol.
    Brunices e Afins.

    ResponderExcluir
  22. Dani, chorei tanto, tanto com esse texto... E eu não sou mãe, mas, ao me colocar em seu lugar, senti meu coração moído de dor. Penso que não vou conseguir não trabalhar, quando tiver meus filhos, mas sei que sentirei exatamente a mesma coisa, o mesmo desespero, a mesma dúvida de "será que vale a pena" que você relatou.

    Sabe, você é uma das poucas pessoas que eu leio e me fazem ficar tão à flor da pele... é muito por sua forma de escrever, mas mais por sua forma de SENTIR. No outro post você disse que Laura é sensível e que você não queria que ela fosse assim, que ela não puxou a você nisso... Me permita discordar de você. Você é um poço de sensibilidade, e não encare isso como "fraqueza", porque não é isso; você "sente" muito e em grande intensidade, seus sentimentos e emoções transbordam nos seus textos e eu imagino que seja assim no dia-a-dia também. Talvez Laura ainda não saiba lidar com a sensibilidade dela, não saiba o que fazer com tudo que ela sente, e chorar seja a atitude mais natural. Tô misturando o comentário de dois textos, mas só queria te dizer que sua sensibilidade me sensibiliza.

    Quero muito o seu bem, quero que sejas muito feliz com a Laura e seu marido.

    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. (PS: a garotinha do texto que você leu e comentou no meu blog também se chama Laura... <3)

      Excluir
  23. Seu texto destampou a corrente que eu estava represando há tempos. Chorei, chorei, chorei até cansar. Por mim, por você, por todas nós que nos enxergamos nas suas palavras. Chorar não resolveu meu conflito interno, mas ajudou a desopilar um pouco... Obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não por isso...
      Todas nós precisamos desopilar um pouco, de vez em quando, certo???
      Um forte abraço!

      Excluir
  24. Ah, Dani... Eu sei que hoje é outro dia, vc está certamente com outro humor depois das evoluções da Laura, mas eu não podia deixar de oferecer meu abraço, bem apertado e bem loooongo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, querida, obrigada!!!
      =)

      Abraço dado!

      Beijos!

      Excluir
  25. Ohhhhh amiga um abraço bem apertado. Entendo perfeitamente suas angústias, preocupações e tristezas. Uma fase importante e que não voltará... Vivi algo muito parecido depois que tive o Felipe e precisei voltar ao trabalho. Logo a babá acompanhou tanto do desenvolvimento dele. Tinha notícias. Aperta o coração saber que colocamos o serzinho no mundo, que é nosso filho e não acompanhamos o crescimento e as principais conquistas e marcos da vida. Mas amiga tenho certeza que vc faz isso porque precisa! Não é por nada que tem essa rotina diária, além do mais faz um tanto pensando na Laura. Faz um tanto por ela. Lógico que não entende porque vc fica distante, porque não está do lado no momento que deseja. Mas são necessidades e prioridades. Infelizmente não temos tudo. Pense diãreitinho se não há uma solução para tudo isso, para vc não ficar em lágrimas, triste, angustiada e preocupada (melhor culpada). Tenho certeza que hoje vc faz o melhor para ela. Dá para ver o amor imenso e carinho que tem por ela. Ela sabe disso....
    quanto ao desfralde estão certos disso? Será a melhor hora? Bom, lerei o último post. Beijos e conte comigo sempre, mesmo distante :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, amiga....
      é tão bom termos pessoas que nos entendem, né?
      obrigada mesmo!!!
      o desfralde até que está indo bem! depois te conto tudo!

      beijos grandes!!!!

      Excluir

Sinta-se a vontade para viajar no comentário! =)
Ele será respondido por aqui mesmo, ok?

Beijas!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 


up