25 maio 2012

/

O motivo

41 comentários:

  1. Dani...
    Que coisa, imagino sua ira e sua angustia, pois que desculpa foi essa? Tosse?
    Enfim, é de tirar qualquer um do sério mesmo.
    Mas talvez seja o momento de repensar no berçário, que apesar de ter seus problemas, pelo menos você pode contar com eles e eu ainda acredito que seja mais seguro, principalmente com crianças como a Laura, bem pequenas.
    E a sua intuição Dani, já lhe mostrava que tinha algo errado.
    Meu marido sempre diz que nós mulheres temos destas coisas, de sentir mais... Sua sintonia foi impressionante.
    Espero que vocês consigam uma solução logo!! Estarei torcendo por vocês!! Beijo, Ju

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ju, vai passar.... eu estou chateada, realmente, mas vai passar, daqui uns dias tudo será "passado", certo?

      Vivendo e aprendendo...

      E aprender a NUNCA, NUNCA ignorar a intuição. Isso é fato!

      Beijos, querida, melhoras da sua rinite polínica!

      Excluir
  2. Dani é isso ai tudo vai dar certo! =D
    tem que dar née...
    Deixa essa Celina comigo, quando ela vim pra Bauru hahaha
    bjo grande

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. =)
      Beijos, Rê, obrigada pelo apoio!
      Conseguiu formar a resposta nos comentários????

      Beijos!

      Excluir
  3. O que eu aprendi ao logo dos 18 meses do nascimento do meu filho e por todas as babás que por aqui já passaram é que nenhuma sequer tem qualquer ideia do significado da palavra consideração. Por melhor que seja o salário, o emprego, a casa, o tratamento, não interessa!! Portanto, aprendi a não mais me apegar e sequer confiar no que dizem. Hoje está aqui, amanhã, não sei..vivo um dia de cada vez para não me frustrar depois...é duro, mas, é a realidade. Que bom que você sofreu apenas 5min, pois, não vale mais que isso não! Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Myriam, vc está certa. Elas não sabem mesmo - à princípio pode até parecer amargura nossa, mas só vivendo na pele a decisão da babá de sair e te dar "uma semana, que é o tempo para arrumar outra" ... posso? Consideração não é.

      Obrigada pelo apoio moral! =)

      beijo!

      Excluir
  4. Dani, eu não acredito que ela pediu as contas! Sofro aqui junto contigo... muito absurdo uma pessoa mudar de idéia assim tão rápido. Poxa, não dava pra ela ter avaliado se valeria a pena ou não antes desse fuzuê todo, dessa mudança pra Laura, uma nenê? Tinha ficado tão feliz com a tua empolgação, por tu acreditares nela, por ela ser uma pessoa boa e porque tu poderia passar mais tempo com ela, etc... Que raiva me deu agora dessa Celina!
    Mas com certeza vai ser o melhor pra Laura assim. Melhor do que ficar com alguém que não tá assim tão afim de encarar, onde sente que o ar é "poluído". Vem cá, ela vai mudar de cidade? Tsc tsc!
    Beijo grande pra ti e força pra superar! Certeza que a Laura ficará melhor no berçario!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cris, queridona... eu tbm acho absurdo, mas passa. Daqui a pouco, Laurinha estará adaptada no berçário e tudo dará certo, sem depender de ninguém. O berçário sempre vai estar lá. Ponto.

      Obrigada pelo apoio moral, meu bem. Adoro as amigas da blogosfera, adoro mesmo!

      Beijos!

      Excluir
  5. Eu sei como é complicado isso. Por essa instabilidade de nunca poder contar 100% com alguém é que eu procurei uma creche para meu filho. Porque a creche estará sempre lá, porque ele tem colegas lá, ele brinca, porque as refeições não são de casa, mas são muito bem feitas sim.
    Sei que você está dolorida, com um pensamento do tipo 'Eu fiz tudo tão direitinho, e deu tudo tão errado...'.
    São coisas que acontecem. Infelizmente precisamos racionalizar isso. A Laura hoje precisa do berçário, então se você confia é lá que ela deve ficar.
    Meu filhote também de vez em quando fica 'pulando', fica um pouco com a avó, com o pai, com a minha mãe, na creche...isso me magoa profundamente.
    Tive uma empregada excelente, excelente mesmo. Impecável, tão impecável que eu pensava 'o que ela está fazendo que não está aproveitando melhor seu potencial'. E foi o que ela fez depois de 1 ano, foi procurar dar continuidade aos estudos e ficar mais com os filhos dela, apesar de que, um mês depois de me dizer isso, estava trabalhando de novo, de empregada, noutra casa, cuidando de outro bebê...
    Tive outra que se magoou e largou a casa destrancada e toda bagunçada porque eu pedi que começasse a limpar os rejuntes do chão. Chateou-se, soube que a mãe dela queria me dar um murro na cara, pode? Por essa época a minha intuição já funcionava e baixinho já estava na creche, pois eu tinha justamente medo da instabilidade. As pessoas não têm muito compromisso.
    Hoje não tenho ninguém, estou achando o máximo apesar do cansaço enorme de trabalhar e cuidar da casa e do filho. Por enquanto ele ainda está na creche em período integral, mas logo vou tirar de um período e ficar o outro com ele. Vou deixar minha carreira em stand by, vou adiar meus planos de ganhar um pouco mais (e eu poderia ganhando mais contratar uma empregada, rs). Decisão minha, acho que o melhor, durante os 7 anos do meu filho, será me ter ao lado dele um período do dia, o outro na creche/escola. Assim inclusive terei menos preocupação de poder deixa-lo um ou dois dias na semana por umas duas horas na avó enquanto faço algo para mim, dançar, por exemplo.
    Dani, de verdade, não podemos nos escravizar. Estou de todas as formas procurando me libertar disso. Das necessidades fúteis, dos supérfluos, da empregada...peço somente saúde e força, porque o resto a gente consegue.
    Você vai conseguir sim. Laura está bem. Não fique se martirizando. E reveja sua rotina, veja o que você pode mudar em função dela. Se não der de um jeito, de outro dá.
    Espero que meu 'livro' tenha te ajudado em algo!
    Bjo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Elen, escrevi no teu blog e repito aqui: muito obrigada! Obrigada mesmo! Tudo dará certo, repito isto como um mantra! =)

      Beijos grandes!

      Excluir
  6. Dani, eles se adaptam. A Antonella ja passou por várias mudanças mas ela adora a escolinha. Eles aprendem muito, tem contato com outras crianças. A Laura vai adorar (no iníio tem o choro, mas depois eles pedem pra ir...) beijoss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lola, ela vai se re-adaptar muito fácil, se Deus quiser.

      Beijos!!!

      Excluir
  7. Dani,
    Você fez o melhor, sofreu 5 minutos, chorou e resolveu seguir a diante.
    A verdade é que a creche não falta. Faça sol ou chuva, poeira ou ar puro a creche está lá.
    Importante é explicar para a Laura que ela vai voltar para a creche, vai rever as tias, os amiguinhos e que você vai continuar amando e voltando para buscá-la.
    Aproveita o final de semana para curtir o marido e a Laura. Viva momentos deliciosos mesmo que em casa e seja muito feliz!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso aí, Chrys, já tinha até pensado nisso, em conversar com ela, explicar o que aconteceu, para, depois, levá-la ao berçário. Apesar de ser um bebê, ela percebe muito bem o que acontece, é necessário explicar-lhe que a vidinha está mudando de novo, mas que está tudo bem, normal. Tudo continua bem.
      Obrigada pelo apoio!

      Beijos grandes!

      Excluir
  8. Ô Dani, nem sei o que escrever aqui... Um abraço, serve?? {--o--}
    Beijos
    Pri

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dá cá um abraço, Pri!!!
      =)

      Claro que serve!

      Beijos!

      Excluir
  9. Dani é isso aí, essa é a melhor solução por agora, quem sabe encontre outra pessoa? Ou que se acostume com a ideia da escola?
    Não sabemos, o tempo dirá...
    Fico feliz que esteja bem resolvida com toda essa situação. Quando dependemos dos outros as coisas nem sempre saem conforme planejamos.
    Bjus
    Um ótimo final de semana
    Rafaelando

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rafa, amiga guerreira... é isso aí!
      Não vou contratar mais babá, não. Não confiava em ninguém que não fosse a Celina, por ser de casa, da família...
      e o berçário é a melhor opção, pelo menos neste momento.

      beijos grandes, bom fim de semana para vcs tbm!

      Excluir
  10. Oi Dani,

    que bom que o berçário ainda existe. que bom que você pode ter essa experiência. experiências sempre nos fazem crescer.

    tudo vai dar certo sim!

    bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso aí, Lorraine!
      Experiências são sempre bem vindas!

      Beijos!

      Excluir
  11. Ai Dani... Amiga se eu morasse perto de vc cuidaria das duas Lauras... :)
    Sabe que pensando por outro lado foi melhor assim... Pelo menos ela não perdeu a paciência e descontou na Laura, linda...
    No berçário ela era bem cuidada, convivia com outras crianças e vc ia trabalhar tranquila, né...
    Tudo vai entrar nos eixos.. Vai dar certo, vai dar certo, vai dar certo!!!
    Estou aqui torcendo por você...
    Quanto a funcionários... Esses.... É melhor nem comentar para não ser presa pelos Direitos Humanos... Affffffffffffffffffffffffffffffffffffff....

    Beijocas no coração... Espero que este esteja tranquilo logo, logo..

    Carol

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carolzita,
      É assim mesmo...
      normal.

      Vamo que vamo!!!

      Beijos!

      Excluir
  12. Dani, tudo vai dar certo mesmo!!!
    ela vai amar a escolinha..
    eu sou de Bauru..rsrs (não me mateee)kkkk
    que coisa essa mulher hein..loka lokaa...mas não é o fim do mundo...vcs vão tirar de letraa!
    bjinhos..
    aaah, tá rolando sorteio no blog, passa lá
    perolasdealanis.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Camila, vai sim!

      Tudo dará certo, tenho certeza!

      Beijos!

      Excluir
  13. Daniela,
    Melhor que seja assim. Se ela abandonou o emprego é porque no mínimo não gostava de cuidar de criança.
    Espero que tudo se resolva.
    Um beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nívea,
      Tenho certeza disso. Esta é uma tranquilidade que me acalma, graças a Deus, ela saiu, ela foi honesta, me disse que queria ir embora. Ótimo.

      Beijos!

      Excluir
  14. Ai Dani, achei você bem generosa com as palavras, viu? Eu acho que eu daria a louca, falaria igual aquela fã de Restart "ISSO É PUTA FALTA DE SACANAGEM", sabe?
    Eu to fazendo curso de História numa faculdade que está em greve pra ganhar um salário inicial de R$830, depois de ler Kant e afins, teorias inúmeras sobre educação e almoçar todos os dias no bandeijão. Sinceramente, com mil e pouco pra passar o dia com um bebê eu estaria feliz da vida com ou sem tosse, ahahaha! Não que eu não goste do meu curso, eu adoro. Mas a expectativa salarial muitas vezes me desanima.
    O que quero dizer é que eu não via motivo nenhum pra ela se demitir. Se ela não quisesse cuidar de criança que falasse antes. Espero que dê tudo certo a partir de agora. Beijão.

    ResponderExcluir
  15. Ai menina, não acredito!! Que vaca (opa, desculpa o linguajar, mas a Laurinha ainda não sabe ler né!)! Caramba, te deixa na mão, com um emprego tranquilo desse, sem qualificação, sem vergonha, sem nada e ainda "argumenta" com uma tosse?!
    Quer saber, já vai tarde. Melhor pra Laura ficar no berçário que ela já conhece, que tem gente que gosta e cuida dela, que estará lá sempre e não fecha por causa de tosse.
    Vai dar td certo sim!!
    bjao

    ResponderExcluir
  16. Dani, se eu fiquei sem chão, imagina você! Mas o melhor das crianças é que elas são altamente adaptáveis, além do mais ela vai voltar para uma escola que já conhecia, então vai ser mais light. É uma pena, pq você peitou uma mudança e fez todo o possível para dar certo, apostando e confiando numa pessoa e no fim, não deu certo. Mas isso aê, "reconhece a queda e não desanima, levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima". Parece ser a sua música para 2012, rs! Bjks

    ResponderExcluir
  17. Dani: como foi dito nos comentários acima, que bom que há uma possibilidade de escolha e que, a causa possível do " divórcio" foi a moça não gostar de trabalhar em "casa de família" mesmo que seja de babá e com um salário bom como o que vc pagava.
    Aqui em casa, uma vez por semana, a minha tia trabalha pra mim- não é tudo perfeito, mas, obviamente, gosto dela. Conversando com ela nesta semana comentávamos sobre como as pessoas atualmente não querem trabalhar mais de empregada ou babá (especialmente a moçada mais jovem) e preferem ganhar um salário mínimo bruto num emprego em que elas possam ficar sentadas e arrumadinhas, mesmo que falte dinheiro no meio do mês e comam só ovo e arroz na marmita no horário do almoço. É a desvalorização do trabalho "braçal" e a valorização da aparência. Porque estudar e se qualificar REALMENTE quase ninguém quer.
    Mas amanhã é sábadão! Divirta-se!
    Bj

    ResponderExcluir
  18. Ai Dani, elas dão as desculpas mais estapafúrdias... Vai saber o que pegou, na verdade. Deve ser o peso da responsabilidade mesmo.
    Você ta certinha. Quer ir, vai. Nao preciso de alguém que nao quer ficar com a minha filha...

    Eu tenho certeza que se a Olivia nao estivesse na escola, já teria perdido a empregada. Ela fica na escola a tarde, e é ótimo porque tem muita energia, muita curiosidade, melhor ficar num ambiente que nutra e estimule isso do que em casa. E certeza que a empregada nao agüentaria e me deixaria na mão... E eu tenho pavor de ser deixada na mão do dia pra noite. Rs...

    Laurinha já conhece e gosta da escolinha, das pessoas lá, vai ficar ótima!
    Beijo, querida!

    ResponderExcluir
  19. dani, que absurdo!
    vc deve estar mto chateada, com toda a razao...
    pelo menos a laura ja gosta da escolinha!
    boa sorte com a nova re-adaptacao!! (ai, ninguem merece neh??)

    bjs

    ResponderExcluir
  20. Amiga.... cheguei...rs
    Não acreditei nisso tudo que aconteceu. Olha que ainda essa semana falei sobre depender dos outros, contar com os outros. Uma situação delicada e muito complicada. Por um lado temos que ter "dedos" para falar, para agir, no qual todo cuidado é pouco. Por outro temos vontade de matar e falar poucas e boas.
    Você atuou da melhor maneira possível. O que fazer numa hora dessa? Só pensar que aconteceu no dia certo, que não daria para continuar, que foi melhor agora... Tem certas coisas que são inexplicáveis e desgastam muito. Imagino como ficou... Mas é isso aí, já está tudo resolvido e bora pensar adiante.. Afinal, nada melhor que um dia após o outro.
    Fique bem! Boa sorte nessa nova readaptação da Laura. Tenho certeza que será um processo bem mais rápido.
    Um grande beijo.

    ResponderExcluir
  21. Ai Dani, fiquei morrendo de raiva aqui também... rs
    Olha, se te serve de consolo, nunca tive babá. Mas desde que o Rapha nasceu, já passaram por baixo umas 5 empregadas por aqui. A que me deu mais ódio foi a primeira. Contratei quando estava grávida, pra me livrar do serviço da casa e poder me dedicar totalmente a ele. Os cuidados com o Rapha eram todos meus, ela nunca nem pegou ele no colo. Mas me deixou na mão quando ele tinha 1 mês, alegando que era muito trabalho.
    Sabe o quê? Me acostumei. A que está agora estou adorando, trato e remunero super bem, mas sei que mais dia, menos dia ele pode ir embora sem a menor cerimônia.
    Casamento, como você falou, só com o marido e filhos mesmo. O resto, a gente dá um jeito. E pensa pelo lado bem: melhor que foi agora - que a Laura ainda tem vínculo emocional com o berçário - do que mais pra frente, que o vínculo seria todo com ela.
    Boa sorte por aí!
    Beijos,
    Ilana

    ResponderExcluir
  22. Oi Dani,
    Também não sei o que passa na cabeça dessas pessoas... Mas, Deus sempre sabe o que faz e quem sabe, não foi melhor assim?! Tenho certeza que tudo vai dar certo.
    Beijos
    Chris
    http://inventandocomamamae.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  23. Dani quanto tempo! Saudades!
    Hoje o trabalho ta mais tranquilo e vim visitar as amigas e te encontro assim!
    Poxaaa que situação!!! Tosse?? Tosse??? Palhaçada!!
    Força amiga!
    Beijos

    ResponderExcluir
  24. Ai amiga.....absorve,....quer dizer tenta né...nao é facil eu sei,...mas pensa que isso vai ser bom para a Laurinha...você viu o monte de coisas que você mesma esta insatisfeita....o meu Theo esta lá no berçario e por mais viroses e gripes que ele tenha lá ele tem muito carinho e amor.....e com certeza lá estou despreocupada(ok, nem tanto relax assim...mas tentamos !!!)
    Bjus

    ResponderExcluir
  25. Ai Dani! Tô com raiva da Celina! rs
    Qdo voltei a trabalhar passei muita raiva com babás que assumiam o compromisso e no dia seguinte ligavam desistindo.. Ficava pensando isso que vc escreveu, como assim??? O povo anda muito sem compromisso, não querendo nada com a dureza... Fico pensando se não precisam de dinheiro pra pagar as contas, se arrumar emprego tá tão fácil assim... Ah nem!
    Mas é isso, tudo dá certo! Acredito muito que se aconteceu é para o melhor! Bjo.

    ResponderExcluir
  26. Dani, primeiro quero te agradecer pelo comentário no meu blog... nossa emocionei..rs juro... e em segundo... eu nunca gostei muito de babá, sinceramente, tb não gosto de creche...rsrs mas quando não tem jeito, acho que prefiro a escolinha mesmo... pelo menos ela vai interagir com outras crianças e ter atividades lindas pra levar desenhos pra mamãe daqui a pouco hahah beijossss

    ResponderExcluir
  27. Depois diz que não tem emprego no nosso país. Tem sim muita gente que não quer trabalhar também. Ja vi vários casos como esse (não do ar poluído, por que isso é bizarro demais e tive que rir, desculpa ) de pessoas sem responsabilidade, respeito e comprometimento, foi por isso que preferi deixar o Nino na escola , com toda a virose que pode pegar por lá, com todos os contras de que é pequeno demais, eu prefiro, pois é um pouquinho mais fácil quando tem uma equipe e uma estrutura que esta com o seu filho. E se essa moça saiu com um ótimo salário da sua casa e com uma desculpa tonta dessas é porque realmente não merecia estar lá ( e nem a Laura com uma pessoa assim!). Boa sorte pra vc com a volta na escolinha! vai ser legal! Bjocassssss

    ResponderExcluir
  28. Ai essa vida de mãe e profissional não é fácil!!
    Aqui não conseguimos uma babá, tb não posso pagar tão bem como você, na verdade eu iria adorar cuidar da Laura rsrs!!
    E aqui as escolinhas só pegam crianças a partir de 2 anos,
    a unica opção que nos resta é a creche publica, aqui não tem uma particular, mas estamos sem coragem de deixa-la na creche. Enquanto isso não consigo trabalhar direito e meu marido esta trabalhando cada vez mais, mal descansa. Muito difícil Dani... Ainda bem que vc tem o berçário e que a Laura gosta de ficar lá e vc sabe que ela é bem cuidada!! Aqui estamos em oração ainda!!

    ResponderExcluir

Sinta-se a vontade para viajar no comentário! =)
Ele será respondido por aqui mesmo, ok?

Beijas!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 


up